bet nacional reclame aqui

bet nacional reclame aqui - Uma das casas mais mágicas de Lisboa abre no domingo ao público. E é grátis - Notícias de hoje - bet nacional reclame aquibet nacional reclame aqui - Uma das casas mais mágicas de Lisboa abre no domingo ao público. E é grátis - Notícias de hoje - bet nacional reclame aqui

Uma das casas mais mágicas de Lisboa abre no domingo ao público. E é grátis

Tudo o que vai acontecer nesta casa será de entrada gratuita

Agência Lusa
22 set 2023, 10:58
Casa do Jardim da Estrela
Casa do Jardim da Estrela

 A Casa do Jardim da Estrela, recentemente requalificada e localizada no interior de um dos jardins mais carismáticos da cidade de Lisboa, é inaugurada oficialmente no domingo integrando a rede Um Teatro em Cada Bairro.

A reabilitação do espaço, que manteve a traça original, rondou 1,5 milhões de euros, segundo avançou à agência Lusa o vereador da Cultura da Câmara Municipal de Lisboa, Diogo Moura.

“Vai ser um espaço cultural, com trabalho de comunidade e proximidade”, sublinhou Diogo Moura, explicando inserir-se na rede Um Teatro em Cada Bairro, no qual os artistas podem contar com um espaço onde se podem lançar.

Diogo Moura avançou que o espaço irá ter “uma área de sensibilização de jardins históricos, já que se insere num jardim com história para a cidade, além de uma biblioteca e de uma xiloteca (biblioteca/arquivo de madeiras)”.

A Casa do Jardim da Estrela, recentemente requalificada e localizada no interior de um dos jardins mais carismáticos da cidade de Lisboa, é inaugurada oficialmente no domingo integrando a rede Um Teatro em Cada Bairro.

A reabilitação do espaço, que manteve a traça original, rondou 1,5 milhões de euros, segundo avançou à agência Lusa o vereador da Cultura da Câmara Municipal de Lisboa, Diogo Moura.

“Vai ser um espaço cultural, com trabalho de comunidade e proximidade”, sublinhou Diogo Moura, explicando inserir-se na rede Um Teatro em Cada Bairro, no qual os artistas podem contar com um espaço onde se podem lançar.

Diogo Moura avançou que o espaço irá ter “uma área de sensibilização de jardins históricos, já que se insere num jardim com história para a cidade, além de uma biblioteca e de uma xiloteca (biblioteca/arquivo de madeiras)”.

A programação do novo equipamento cultural arranca já hoje com vários momentos de pré-abertura no palco em frente ao Coreto do Jardim da Estrela, que passam por recitais de poesia e música, além de um passeio botânico.

O programa ‘Um Teatro em Cada Bairro’, da Câmara Municipal de Lisboa, tem como missão criar uma rede de centros culturais de proximidade com diferentes características e dimensões, que permitam uma oferta diversificada de propostas culturais que possam ser construídas e usufruídas por todos.

De acordo com uma nota da Câmara de Lisboa, a Casa do Jardim da Estrela vai apostar numa oferta cultural mensal e diversificada centrada nas questões da “sustentabilidade, ambiente e ecologia”, destinadas a variados públicos e de forma a explorar as diferentes propostas culturais que vão desde “espetáculos, oficinas e conversas até sessões de leitura e aulas de ioga, entre outras”.

Pretende-se ainda que o espaço seja um “ponto de encontro, de partilha de conhecimento e um local de proximidade entre os agentes locais, os artistas e as diferentes comunidades, com enfoque na sensibilização ambiental e na literacia climática”.

Domingo, pelas 15:30, terá lugar a cerimónia oficial de abertura da Casa do Jardim da Estrela, com a presença do presidente da Câmara de Lisboa, Carlos Moedas.

A Casa do Jardim da Estrela resulta de uma parceria entre os Pelouros da Cultura e do Ambiente, Estrutura Verde, Clima e Energia da Câmara Municipal de Lisboa que, em conjunto com outras entidades e parceiros, nomeadamente da Junta de Freguesia da Estrela, pretendem criar um espaço dinâmico e de referência na cidade de Lisboa.

O Jardim Guerra Junqueiro, conhecido por todos como Jardim da Estrela, foi construído no séc. XIX (1842), por iniciativa do estadista Bernardo da Costa Cabral, Marquês de Tomar, segundo refere o ‘site’ da Câmara Municipal de Lisboa.

Trata-se de um jardim naturalista de conceção romântica, inspirado nas linhas do “parque à inglesa”, cercado por um gradeamento.

No seu interior, foi construído em 1882, o edifício da antiga escola Froebel, a primeira creche do país, projetado pelo arquiteto José Luiz Monteiro e atualmente a Casa do Jardim da Estrela.

A programação do novo equipamento cultural arranca já hoje com vários momentos de pré-abertura no palco em frente ao Coreto do Jardim da Estrela, que passam por recitais de poesia e música, além de um passeio botânico.

O programa ‘Um Teatro em Cada Bairro’, da Câmara Municipal de Lisboa, tem como missão criar uma rede de centros culturais de proximidade com diferentes características e dimensões, que permitam uma oferta diversificada de propostas culturais que possam ser construídas e usufruídas por todos.

A Casa do Jardim da Estrela, recentemente requalificada e localizada no interior de um dos jardins mais carismáticos da cidade de Lisboa, é inaugurada oficialmente no domingo integrando a rede Um Teatro em Cada Bairro.

A reabilitação do espaço, que manteve a traça original, rondou 1,5 milhões de euros, segundo avançou à agência Lusa o vereador da Cultura da Câmara Municipal de Lisboa, Diogo Moura.

“Vai ser um espaço cultural, com trabalho de comunidade e proximidade”, sublinhou Diogo Moura, explicando inserir-se na rede Um Teatro em Cada Bairro, no qual os artistas podem contar com um espaço onde se podem lançar.

Diogo Moura avançou que o espaço irá ter “uma área de sensibilização de jardins históricos, já que se insere num jardim com história para a cidade, além de uma biblioteca e de uma xiloteca (biblioteca/arquivo de madeiras)”.

A programação do novo equipamento cultural arranca já hoje com vários momentos de pré-abertura no palco em frente ao Coreto do Jardim da Estrela, que passam por recitais de poesia e música, além de um passeio botânico.

O programa ‘Um Teatro em Cada Bairro’, da Câmara Municipal de Lisboa, tem como missão criar uma rede de centros culturais de proximidade com diferentes características e dimensões, que permitam uma oferta diversificada de propostas culturais que possam ser construídas e usufruídas por todos.

De acordo com uma nota da Câmara de Lisboa, a Casa do Jardim da Estrela vai apostar numa oferta cultural mensal e diversificada centrada nas questões da “sustentabilidade, ambiente e ecologia”, destinadas a variados públicos e de forma a explorar as diferentes propostas culturais que vão desde “espetáculos, oficinas e conversas até sessões de leitura e aulas de ioga, entre outras”.

Pretende-se ainda que o espaço seja um “ponto de encontro, de partilha de conhecimento e um local de proximidade entre os agentes locais, os artistas e as diferentes comunidades, com enfoque na sensibilização ambiental e na literacia climática”.

A Casa do Jardim da Estrela, recentemente requalificada e localizada no interior de um dos jardins mais carismáticos da cidade de Lisboa, é inaugurada oficialmente no domingo integrando a rede Um Teatro em Cada Bairro.

A reabilitação do espaço, que manteve a traça original, rondou 1,5 milhões de euros, segundo avançou à agência Lusa o vereador da Cultura da Câmara Municipal de Lisboa, Diogo Moura.

“Vai ser um espaço cultural, com trabalho de comunidade e proximidade”, sublinhou Diogo Moura, explicando inserir-se na rede Um Teatro em Cada Bairro, no qual os artistas podem contar com um espaço onde se podem lançar.

Diogo Moura avançou que o espaço irá ter “uma área de sensibilização de jardins históricos, já que se insere num jardim com história para a cidade, além de uma biblioteca e de uma xiloteca (biblioteca/arquivo de madeiras)”.

A programação do novo equipamento cultural arranca já hoje com vários momentos de pré-abertura no palco em frente ao Coreto do Jardim da Estrela, que passam por recitais de poesia e música, além de um passeio botânico.

O programa ‘Um Teatro em Cada Bairro’, da Câmara Municipal de Lisboa, tem como missão criar uma rede de centros culturais de proximidade com diferentes características e dimensões, que permitam uma oferta diversificada de propostas culturais que possam ser construídas e usufruídas por todos.

De acordo com uma nota da Câmara de Lisboa, a Casa do Jardim da Estrela vai apostar numa oferta cultural mensal e diversificada centrada nas questões da “sustentabilidade, ambiente e ecologia”, destinadas a variados públicos e de forma a explorar as diferentes propostas culturais que vão desde “espetáculos, oficinas e conversas até sessões de leitura e aulas de ioga, entre outras”.

Pretende-se ainda que o espaço seja um “ponto de encontro, de partilha de conhecimento e um local de proximidade entre os agentes locais, os artistas e as diferentes comunidades, com enfoque na sensibilização ambiental e na literacia climática”.

Domingo, pelas 15:30, terá lugar a cerimónia oficial de abertura da Casa do Jardim da Estrela, com a presença do presidente da Câmara de Lisboa, Carlos Moedas.

A Casa do Jardim da Estrela resulta de uma parceria entre os Pelouros da Cultura e do Ambiente, Estrutura Verde, Clima e Energia da Câmara Municipal de Lisboa que, em conjunto com outras entidades e parceiros, nomeadamente da Junta de Freguesia da Estrela, pretendem criar um espaço dinâmico e de referência na cidade de Lisboa.

O Jardim Guerra Junqueiro, conhecido por todos como Jardim da Estrela, foi construído no séc. XIX (1842), por iniciativa do estadista Bernardo da Costa Cabral, Marquês de Tomar, segundo refere o ‘site’ da Câmara Municipal de Lisboa.

Trata-se de um jardim naturalista de conceção romântica, inspirado nas linhas do “parque à inglesa”, cercado por um gradeamento.

No seu interior, foi construído em 1882, o edifício da antiga escola Froebel, a primeira creche do país, projetado pelo arquiteto José Luiz Monteiro e atualmente a Casa do Jardim da Estrela.

Domingo, pelas 15:30, terá lugar a cerimónia oficial de abertura da Casa do Jardim da Estrela, com a presença do presidente da Câmara de Lisboa, Carlos Moedas.

A Casa do Jardim da Estrela resulta de uma parceria entre os Pelouros da Cultura e do Ambiente, Estrutura Verde, Clima e Energia da Câmara Municipal de Lisboa que, em conjunto com outras entidades e parceiros, nomeadamente da Junta de Freguesia da Estrela, pretendem criar um espaço dinâmico e de referência na cidade de Lisboa.

O Jardim Guerra Junqueiro, conhecido por todos como Jardim da Estrela, foi construído no séc. XIX (1842), por iniciativa do estadista Bernardo da Costa Cabral, Marquês de Tomar, segundo refere o ‘site’ da Câmara Municipal de Lisboa.

Trata-se de um jardim naturalista de conceção romântica, inspirado nas linhas do “parque à inglesa”, cercado por um gradeamento.

No seu interior, foi construído em 1882, o edifício da antiga escola Froebel, a primeira creche do país, projetado pelo arquiteto José Luiz Monteiro e atualmente a Casa do Jardim da Estrela.

De acordo com uma nota da Câmara de Lisboa, a Casa do Jardim da Estrela vai apostar numa oferta cultural mensal e diversificada centrada nas questões da “sustentabilidade, ambiente e ecologia”, destinadas a variados públicos e de forma a explorar as diferentes propostas culturais que vão desde “espetáculos, oficinas e conversas até sessões de leitura e aulas de ioga, entre outras”.

Pretende-se ainda que o espaço seja um “ponto de encontro, de partilha de conhecimento e um local de proximidade entre os agentes locais, os artistas e as diferentes comunidades, com enfoque na sensibilização ambiental e na literacia climática”.

Domingo, pelas 15:30, terá lugar a cerimónia oficial de abertura da Casa do Jardim da Estrela, com a presença do presidente da Câmara de Lisboa, Carlos Moedas.

A Casa do Jardim da Estrela resulta de uma parceria entre os Pelouros da Cultura e do Ambiente, Estrutura Verde, Clima e Energia da Câmara Municipal de Lisboa que, em conjunto com outras entidades e parceiros, nomeadamente da Junta de Freguesia da Estrela, pretendem criar um espaço dinâmico e de referência na cidade de Lisboa.

O Jardim Guerra Junqueiro, conhecido por todos como Jardim da Estrela, foi construído no séc. XIX (1842), por iniciativa do estadista Bernardo da Costa Cabral, Marquês de Tomar, segundo refere o ‘site’ da Câmara Municipal de Lisboa.

Trata-se de um jardim naturalista de conceção romântica, inspirado nas linhas do “parque à inglesa”, cercado por um gradeamento.

No seu interior, foi construído em 1882, o edifício da antiga escola Froebel, a primeira creche do país, projetado pelo arquiteto José Luiz Monteiro e atualmente a Casa do Jardim da Estrela.

RELACIONADOS
Mais Lidas
bet nacional reclame aqui Mapa do site

1234